// Coiococol: 05/03/17 - 12/03/17

quarta-feira, março 08, 2017

Espelho meu , espelho meu ...

... existe alguém que adore tanto almofadas como eu ??
E tecidos românticos de cores claras ?
E lacinhos ou fitinhas ?
Espelho meu por favor, diz-me que não sou eu a única a ser assim !

Costumo dizer que numa outra vida  nasci no meio de um estilo provençal , e o que para muitos pode ser enjoadíssimo , para mim é uma paixão bem intensa , e ainda bem que nisto dos gostos cada um tem o seu  :)
Provençal vem de Provence , situada no sul da França e que batizou este estilo amoroso que tanto gosto , é um lugar bem conhecido por causa dos seus campos repletos de lavandas e do seu perfume  natural  . 

Adoro os padrões suaves com flores estampadas , os lençois brancos com rendas , as mobilias trabalhadas de cores claras e todo o toque de romantismo ligado a este estilo . Às vezes em conversas com amigos percebo que identificam este estilo a uma decoração muito cheia , a casa muito preenchida e não tem que ser assim , aliás quanto mais leve estiver a casa mais leve estará a nossa cabeça .





Beijos, Carla 


segunda-feira, março 06, 2017

Nicolau Breyner


Lembro-me deste senhor entrar muitas vezes pela televisão lá de casa , eu era pequena e só havia um canal televisivo , a RTP . E era por ali que ele entrava como ator , como apresentador ou como realizador - que para falar a verdade , na altura eu nem sabia muito bem o que era isso de ser realizador . 

Quando comecei a crescer e escolher as minhas leituras , descobri que era primo da escritora Sophia de Mello Breyner , a minha escritora preferida , e passei a olhar para o Nicolau Breyner  não só como ator, apresentador e realizador , mas sim como "o primo" . 
Acho que foi aí que me deu aquele click que as "pessoas famosas" têm familia e não são aquelas pessoas inquebráveis que só aparecem na televisão . São filhos de alguém ,  primos de alguém , pais de alguém , amigos de alguém ... e por aí .



Quando  morreu em Março de 2016 ,  pensei desenhá-lo mas , havia sempre coisas para fazer e nunca foi uma prioridade, confesso . 
Até que resolvi mesmo pegar nos lápis e desenhar o Nicolau Breyner que para além de ator, apresentador e realizador , era filho de alguém , pai de alguém , amigo de alguém e primo da minha  querida Sophia de Mello Breyner - aquela que me fez chorar com tantas palavras e rir desbocadamente com tantas outras . 

Tenho dedicado  muito mais tempo ao desenho , e tenho notado melhorias a cada desenho que faço . Um retrato realista não pode ser acabado em minutos , eu pelo menos não o consigo fazer .  Levo horas a terminar o meu retrato , muitas horas mesmo  , mas é o que pretendo , que seja o mais realista possível e não um esboço no papel . 
Confesso que no inicio me aborrecia um bocadinho por não ver logo os resultados que queria   e perdia a paciência mas comecei a ver esta técnica de maneira oposta - não quero perder a paciência mas sim ganha-la . E tenho reparado que controlar a paciência é ótimo para a mente :)))

Beijos, Carla